Muitos acham que precisam ter sempre mais. Todos nós conhecemos a ânsia pela riqueza. É a ânsia de finalmente termos o suficiente para podermos comprar o que queremos.
Porém muitas vezes percebemos como a riqueza toma conta de nós. Ela não nos torna felizes, mas ambiciosos: precisamos ter sempre mais.
Henry D. Thoreu nos mostra um caminho a uma riqueza de outro tipo: “O homem é tão mais rico quanto mais coisas ele puder deixar para trás”. Aquele que quer fazer muita coisa, possivelmente não faz justamente o que seria importante. E não consegue alcançar a si mesmo.
Quem costuma acumular muito entulho logo não terá espaço, nem ar à sua volta. Quem acha que precisa possuir tudo o que vê sobrecarrega a si mesmo.
Sua casa enche-se de coisas inúteis, até que um dia ele não vai mais conseguir morar nela. Não terá mais espaço para respirar.
O meu caminho à riqueza interior é deixar de lado as coisas que eu vejo e alegrar-me com elas, sem querer tê-las. Quando acho que preciso ter tudo, fico sempre com medo de que possam me roubar as coisas.
Ninguém poderá me roubar as imagens das coisas que levo dentro de mim. (Anselm Grün)