Page 2 of 12

Não existe necessidade de reinventar o evangelho!

Eu estava aqui fazendo uma leitura quando li a seguinte frase: Não existe a necessidade de reinventar a roda! E imediatamente o Espírito Santo falou ao meu coração: “Assim como não existe necessidade de reinventar o evangelho!”
Na mesma hora eu pensei: Wow, conta mais! Naquele mesmo momento me veio a mente tudo que tenho visto, ouvido e presenciado na minha geração que não condiz com o evangelho que foi pregado e vivido por Jesus na terra. Tive também um sentimento de culpa ao perceber que tenho parte nisso, e por ter ouvido isso diretamente do Espírito Santo me senti intimada à fazer algo; ou no mínimo começar a escrever algo à respeito.

A verdade é que todos somos responsáveis por pregar a verdade e vivê-la também. Não temos o luxo de deixar somente o pastor fazer esse trabalho, como se esse trabalho pudesse ser atribuído somente às pessoas que possuem um cargo ou título dado por uma denominação evangélica. Como se esse trabalho tivesse se tornado um peso para os evangélicos à ponto de ser feito somente quando for remunerado. Como se esse trabalho fosse tão insignificativo ao ponto de ser ignorado, esquecido e desrespeitado pelos próprios seguidores de Jesus.

Quando é que o evangelho virou um fardo, um hobby ou um comércio? Quando foi que a simplicidade saiu do evangelho e a complexidade entrou? Quando foi que tornamos o singelo em fingimento? Quando foi que Jesus saiu de cena por termos colocado o homem no trono? Quando foi que nos esquecemos que foi pela graça e começamos a monetizar? Quando foi que nos perdemos em meio à tanta ostentação e passamos a fingir sermos santos?

O que temos feito do evangelho que é tão simples? Porque estamos vendendo Jesus para as pessoas, quando Ele veio ao mundo sem exigência alguma? Porque estamos comercializando Seu nome para que o nosso nome seja maior que o dEle? Porque estamos construindo uma anarquia cristã quando é preciso viver o reino? Porque tanta prepotência quando Ele se fez maldito para nos trazer paz?

Um Jesus que simplificou mas nós queremos enigmar. Um Jesus que ensinou perdão mas nós queremos condenar. Um Jesus que falou sobre princípios mas nós preferimos fazer uso de técnicas. Um Jesus que deu exemplo de comunhão mas nós preferimos a oposição. Um Jesus que se assentou entre pecadores e nós nos auto-avaliamos espirituais demais e nos consideramos superiores aos outros.

Porque estamos mistificando Jesus? Porque estamos abusando do evangelho? Porque estamos buscando reinventá-lo quando a única coisa necessária é sermos discípulos daquele que já exemplificou tudo? Porque estamos lançando pedras na prostituta que Jesus perdoou?

Um evangelho que não precisa de templos, de púlpitos ou de títulos. Um evangelho que levanta, que ajuda, que transforma e que cura. Um evangelho de amor, de paz e de união. Um evangelho que não tira Jesus do centro. Um evangelho de relacionamento. Um evangelho de verdade e humildade. Um evangelho de perder para ganhar. Um evangelho sem sistemas de valorização consumista. Um evangelho que chora pelo perdido e alcança o caído. Um evangelho que não depende de palcos para promover talentos. Um evangelho que não aceita barganhas. Um evangelho desafiador e não confortável. Esse é o evangelho de Jesus. Esse é o evangelho da cruz. Esse é o evangelho que eu e você precisamos seguir.

Porque você está buscando reinventar o evangelho sendo que não existe essa necessidade? A mensagem de Jesus é simples; Ele disse “Ide” e não “Vão em busca de algo melhor do que eu já mostrei, compliquem e enfeitem tudo para que o evangelho se torne quase impossível de ser seguido”. O nome de Jesus tem que estar acima do nosso, acima do título, acima do ministério, acima do sistema. Jesus precisa estar no centro. Jesus precisa ser o foco. Jesus é a mensagem à ser pregada.

Será que estamos dispostos à deixar de lado o evangelho que criamos para seguir o evangelho que já foi criado?

CONVENCENDO O MUNDO OU SENDO CONVENCIDOS PELO MUNDO?

Quero começar esse texto com a seguinte afirmação: Estavamos vivendo os últimos dia na terra.
Será que é certo afirmar isso? Claro que sim, olhe para os últimos acontecimentos – guerras, terrorismos, pragas, doenças, escândalos políticos, pobreza, drástica mudança climática, entre outros assustadores fatores.

Tudo isso já estava previsto, e nos foram deixado avisos sobre tudo isso. Veja o que diz Romanos 12:2: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito.” Veja também o que diz: I João 5:19: “Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o maligno”.

O mundo tem se corrompido, tem se perdido, tem se afundado em suas práticas errôneas. E a pergunta é: O que nós – seguidores de Jesus, estamos fazendo? Temos convencido o mundo ou estamos sendo convencidos? Que diferença temos feito na terra? Que legado temos deixado? Que história temos escrito?

Os tempos mudam? Sim! A tecnologia está ocupando mais espaço em nossa geração? Sim. O pecado tem aumentado? Sim.
E nós podemos nos calar diante tudo isso? Não! Mas estamos em falta. Temos nos calado, temos sido influenciados, temos sido reféns de nossas próprias escolhas. Muitas vezes aceitamos pensamentos e práticas mundanas quando deveríamos buscar viver a luz da palavra de Deus. Estamos mais preocupados com nossa aparência externa do que a aparência do nosso espírito. Estamos mais ligados as vozes da mídia do que a voz do Espírito Santo. Estamos alimentando a carne e deixando o espírito morrer de fome.

Todas as vezes que ligamos a televisão e alí sentamos por horas, estamos indo em busca de um poço de mentiras e engano e deixando de lado o livro da vida que é uma fonte de amor, verdades e promessas. Quando valorizamos o prazer temporário, estamos deixando de lado o que é eterno. Quando ocultamos o nome de Deus, estamos nos igualando aos que não acreditam nEle. Assim, vamos dançando no rítmo do mundo, sem perceber vamos nos esfriando, nos afastando e nos calando. Aos poucos vamos sendo influenciados e convencidos de que não tem problema aceitar o mundo como ele é e aderir suas práticas.

Não! Eu digo não à tudo isso! Eu digo não à tudo que nos afasta da verdade. Eu digo não à tudo que nos corrompe e nos tira do centro do evangelho. Eu digo não à tudo aquilo que desfarça Jesus Cristo. Eu digo não à tudo aquilo que me distancia do foco, do trono e da presença de Deus. Eu digo não as canções escritas por mentes influenciadas pelo mal. Eu digo não à mídia que tira Jesus do centro. Eu digo não ao sistema corrompido. Eu digo não à indecência. Eu digo não à carnalidade. Eu digo não à prostituição. Eu digo não ao altar contaminado com o pecado. Eu digo não aos prazeres da carne. Eu digo não ao conformismo. Eu digo não a religiosidade.

Acorda igreja. O mundo está no maligno. Nós carregamos a verdade. Nós somos discípulos de Jesus Cristo. Não podemos nos acostumar com o errado, precisamos convencer o mundo do certo, precisamos viver o evangelho da verdade e da justiça.

Desperta igreja, o fim está proximo!

SANTIDADE

GRATIDÃO

« Older posts Newer posts »