Page 12 of 12

Você tem o que merece?

Você já ouviu falar de gente que está sempre colocando a culpa nos outros? A culpa é sempre do marido, da irmã, do patrão, do cachorro, do gato, enfim… ela nunca vê a culpa nela mesma.
A pessoa sonha a vida inteira – com o que vai ser, onde vai chegar, em que vai se formar; mas nunca faz algo pra que isso se torne uma realidade.

Culpa a criação que teve dos pais, a cidade em que nasceu, a escola em que estudou e por nunca alguém ter lhe dado uma oportunidade. A verdade é que essa pessoa vive a vida de ‘desculpa em desculpa'; pra tudo ela tem uma saída, o fracasso nunca é dela, a culpa nunca é dela.
Mas… quando alguém revolve fazer aquilo que ela sempre sonhou, ela diz: Ah, mas essa pessoa teve apoio, tem condições financeiras, é filho de famoso e etc. E ainda fala mal do trabalho que a pessoa está fazendo, critica, põe defeito, diz que pode fazer melhor. Mas, enquanto isso, a pessoa está de braços cruzados, acorda todos os dias as onze da manhã, não corre atrás, ou quer começar de cima sem fazer algum esforço.

Os dias passam e a pessoa fica almejando uma posição, um cargo, um diploma… mas, nunca começa, nunca levanta, nunca sai da cama, nunca coloca o relógio pra despertar, nunca inicia um projeto, nunca abre um livro pra ler… e ainda assim diz que tem muito potencial, que almeja ser alguém que vai fazer e acontecer. Mas, ela nunca sai do lugar onde está.

Será que à essa pessoa nunca ocorreu entender que o problema seja ELA mesma? E que o lugar que ela pensa chegar precisa ser percorrido, trilhado, suado e conquistado? Nada chega à nossas mãos sem suor, determinação, coragem, trabalho e muito esforço. E se essa pessoa não consegue dar início à algo por si propria, poderia então apoiar os projetos que já existem, ou às pessoas que já estão em destaque; e parar de achar que só ela tem razão, talento e futuro.

Porque enquanto essa pessoa vive sonhando com algo que nunca tem coragem de fazer, outras pessoas estão dando tudo o que tem, suando a camisa, acordando cedo, lutando para realizar algo grande. Reclamação não leva ninguém à lugar algum, se você não está gostando, levante e faça você mesmo. Não aponte o dedo, estenda a mão. Não fale mal, apoie.

Quando a gente quer, a gente faz. A prioridade quem dá somos nós mesmos. Faça por merecer, fale menos e faça mais. Se você quer reconhecimento, faça por onde. Não espere por um acontecimento milagroso, onde tudo e todos vão estar em seu favor. Na bíblia em Gênesis 3:19 diz: “Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão”. E isto é um conselho que todos deveriam seguir. Nada é conquistado sem suor, o fruto virá do nosso trabalho.

Então, levante-se, caminhe, lute, não fique somente em palavras. E ao invés de julgar a conquista do próximo, lute pela sua própria. E uma dica: A vida é curta, o tempo passa, comece hoje mesmo!

Como as mocinhas devem se vestir?

Reconheço que este é um assunto muito polêmico, mas não poderia deixar de falar a respeito sendo que ultimamente ando horrorizada com o que ando vendo. Meninas de Jesus… o que passa na cabeça de uma “pessoinha” quando ela vai à uma loja comprar suas roupas? Que tipo de roupa lhe agrada mais? As mais curtas? Decotadas? Transparentes? As que estão na moda? As que os estilistas estão apresentando como último lançamento? Ai ai ai hein…

Presta atenção aqui em uma coisa: nem tudo que tem nas lojas, revistas, mídia em geral é feito para nós – mocinhas lindas que Jesus fez, que precisa cuidar pra não fazer o irmãozinho pecar. A última moda nem sempre precisa parar dentro do nosso guarda-roupa e fazer parte da nossa escolha para vestimenta. As vezes precisamos usar nossa cabecinha que não é só pra balançar os cabelos e pensar um pouquinho se aquilo vai valorizar mais as curvas do nosso corpo ou nosso caráter como cristã.

Você sabe o que acontece quando a pessoa mostra mais perna do que precisa mostrar? Ou usa um decote daqueles que quase afoga a própria pessoa? Os irmãos passam à desejá-la sexualmente. E não me vem com aquela conversa de que o que interessa é o nosso interior e blá blá blá, com certeza nosso interior é muito importante mesmo, mas o que está à vista de todos é o exterior mesmo, e este precisamos preservar e cuidar para que não sirva de tropeço.

Se você, florzinha de Jesus, tem cáido nessa armadilha de querer comprar estes tipos de roupas que mostram mais do que deveria mostrar, deixa eu te perguntar: Pra quê e porque? É sua intenção fazer com que os pobres irmãos venham te olhar e desejar? É certo fazer com que todos os homens do planeta terra te olhem e pensem em algo  sexual à seu respeito? Pois então, outro aspecto muito importante a respeito desse assunto é como se vestir numa festa, casamento, jantar especial e etc. Se você se comporta muito bem, se veste bem bonitinha, comportadinha e tal, porque então que na festa você arranja um vestido minúsculo, decotado, transparente, com somente um palmo de pano? Na festa a gente deixa de ser crente? Olha lá hein!

Daí eu te pergunto: Qual imagem você está vendendo? Qual mensagem você está passando quando as pessoas te olham? Se você entrar e sair de um lugar sem falar nada, o que é que as pessoas pensaram de você a partir do que você estava vestindo?

Decência é elegância, lembre-se disso. Não faça de seu corpo uma vitrine, colocando só um pedacinho de pano pra tampar quase nada. Ser vulgar não é para as mocinhas de Jesus, isso é coisa do cão mesmo. Seja elegante, bem vestida. Represente com sabedoria o seu exterior, afinal de contas é que todo mundo tá vendo. Cuide também do seu interior, leia, se informe, não seja motivo de tropeço.

“A liberdade de escolha é um direito de todos, mas só alguns a exercem com elegância” ~Honoré de Balzac

 

Por que vamos à igreja?

Você sabe por que vai à igreja? Você gosta mais do louvor ou  da mensagem? Ou será a pessoa que canta que te agrada? Ou será o pastor que sempre tem uma palavra que te faz sentir bem, motivado, consolado… Talvez não seja nenhum desses itens, talvez você goste mesmo é de encontrar seus amigos, se socializar, se reunir após os cultos pra bater um papo com a sua turminha mais chegada.

Agora vem comigo. Será que a igreja é um lugar onde a pessoa pode sair reclamando? Um lugar onde a pessoa vai, tira o que quer, pensa o que bem quizer e ainda sai falando mal quando algo não aconteceu do jeito que queria que fosse? Será que é certo colocar a igreja dentro da nossa caixinha de imaginação e limitá-la à um lugar onde se pode obter somente aquilo que nos interessa e sair julgando tudo que ao nosso parecer não foi bom?

Até onde eu sei, a igreja não é um lugar pra sentir sensações, ter conforto com um assento acolchoado e achar que tudo alí dentro tem que correr de acordo com sua expectativa. Na igreja a gente vai pra adorar e ouvir Deus falar. E sabe o que mais? É difícil mesmo manter a atenção  no que está acontecendo no culto quando não há continuidade adorando e se alimentando da palavra de Deus na sua casa. A pessoa não abre a bíblia, não tem um cd evangélico tocando no carro e no tempo livre não faz nada relacionado as coisas de Deus.

O problema maior ainda não disse… mas vou dizer, a pessoa passa a semana toda vendo e ouvindo coisas que vem de outras fontes, como por exemplo: fica na frente da televisão pelo menos duas horas por dia, lê revista que faz fofoca da vida alheia, vê filme de terror, canta junto com a música secular que passa na rádio… a única oração que faz no dia é a que antecede a refeição: “Senhor, obrigada por este alimento, abençoa, em nome de Jesus, amém”.

A pessoa nunca ouve e fala das coisas de Deus, não gasta tempo se conectando, daí acha que quando chegar na igreja vai se sentir totalmente espiritual, vai estar ligado sem se distrair um minuto. Ouça aqui… essa idéia não cola, não dá certo, nunca deu e nunca vai dar. Depois da pessoa ter passado zero horas se conectando com Deus durante a semana, o culto de duas horas na igreja vai parecer não ter fim, vai ser difícil mesmo gostar e concordar com as coisas que acontecem alí.

Agora, quando a pessoa lê, canta e se alimenta das coisas que estão relacionadas à Deus, o culto será tudo de bom, será um complemento daquilo que você já vive todos os dias, você vai sair feliz, cheio e grato por tudo que aconteceu alí. Então, antes de sair falando da igreja, viva na sua casa um tempo de sintonização com Deus, desliga um pouco a televisão, abra mais a bíblia e chegue na igreja pra botar pra quebrar, cante, levante a mão, pule, não é pecado não… Quando você viver mais em sintonia, a igreja vai fazer mais sentido, vai ter mais a ver com o que você vê, fala e faz lá na sua casa ou onde quer que você for. 

Experimenta! Faz um teste! E depois me conta se deu certo : )

 

 

Qual o propósito de estarmos aqui?

Nossa vida se resume em repetições que viram rotinas, afinal, ninguém vive sem comer, beber e dormir… outros vão um pouco além e adicionam atividades físicas, mentais e emocionais à sua lista. Outros vão ainda mais além e se dedicam à alcançar uma promoção no trabalho, obter um diploma ou viver intensamente aquilo que seu coração deseja.

Tais itens se tornam parte da nossa vida, o que podemos chamar de rotina, ritual, responsabilidade, dever e etc. É muito fácil deixar com que essas coisas levem todo o nosso tempo, nos envolvendo ao ponto de não percebermos que podemos fazer mais e ser mais.

O que muitas vezes acontece é que muitos de nós pensamos que para realizar algo grande precisamos de muito dinheiro, títulos, fama, ser e ter tudo aquilo que a sociedade atual impõe como essencial e importante. Felizmente, eu tenho uma ótima notícia para lhe trazer, para vivermos algo grande é necessário somente sonhar, e claro, subir lentamente os degraus que te levará à alcançar esse sonho com muita humildade, integridade, foco e fé.

Para entendermos melhor a razão ou propósito de estarmos vivos, precisamos entendermos três fatores básicos: o primeiro é entender que não nascemos somente para envelhecer e morrer; e a partir desse verso bíblico posso te assegurar que sua vinda à este mundo não é um equívoco:

“Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu que os escolhi para que vão e deem fruto e que esse fruto não se perca.” João 15:16

Nossa vida aqui não foi somente planejada por nossos pais; ela foi desejada por Deus. Dar frutos simplesmente significa viver com um propósito, fazer a diferença, deixar uma marca.

O segundo fator é entender que fomos colocados e destinados a viver no século que vivemos por um motivo, e a hora de vivermos nossos sonhos é agora; os dias passam rápido e a vida é curta demais para pensar que amanhã é o dia de começarmos a viver com um propósito. O amanhã nunca vai chegar, hoje é dia de vivermos intensamente, defendendo nossos valores, lutando por alcançar nossos sonhos, impactando aqueles que estão à nossa volta.

O último fator é enterdermos que para fazermos algo  grande não precisamos ser ou parecer com alguém que já está em destaque, precisamos ser somente uma coisa: nós mesmos. Precisamos abraçar tudo que diz respeito à nós mesmos, incluindo defeitos e limitações, convencidos de que cada um de nós tem uma oportunidade única de vivermos nossos dias com um propósito maior.

Pra você que desconhece esse propósito para qual você existe, comece a ouvir a voz do seu coração, preste mais atenção nas coisas simples, desintoxique-se das opiniões da mídia, busque o que é importante pra você. Logo você descobrirá o que lhe trará prazer e isso lhe servirá como um impulso a viver algo mais profundo.

E você que já tem convicção daquilo que precisa fazer mas está tomado pelo medo de errar e se frustar, entenda que a crítica pode ser interpretada de duas maneiras: como um obstáculo para te desanimar e fazer parar ou um impulso que te levará mais perto de seu alvo.

Como e por onde começar? Isso dependerá somente de você. “O homem deve criar as oportunidades e não somente encontrá-las”.
~Francis Bacon

Newer posts »