Page 10 of 12

O plano de Deus para a mulher

Gostaria de começar este texto com um versículo bíblico muito conhecido por todas nós: A mulher sábia edifica a sua casa, mas com as próprias mãos a insensata destrói o seu lar. (Provérbios 14:1)

Por si próprio este versiculo já fala muito sobre como uma mulher deve ser – prudente, temente, disposta, doce, ajudadora, incentivadora, consoladora, amável e acima de tudo, sábia. A mulher exerce um poder tremendo sobre sua casa, ela pode tanto como edificá-la, como também destruí-la.

Nos últimos dias tenho sido muito abençoada com um livro que estou lendo que se chama “Reflexos da Alma”, escrito por Ana Paula Valadão, Helena Tanure e Devi Titus. Este livro talvez seja o melhor que já li para mulheres, ele fala com muita autoridade sobre como uma mulher deve ser diante aos seus próprios olhos, aos olhos da família, dos homens, dos filhos e de Deus. As autoras foram muito profundas em cada tópico; o que me levou a pensar muito sobre o plano de Deus para a mulher.

O propósito maior da mulher quando ela foi criada por Deus foi para ajudar o homem. Gênesis 2:18 “Então o Senhor Deus declarou: Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe correponda”. A mulher foi criada diferente do homem, Deus nos criou e nos deu o privilégio de gerar vida. E é sobre esse ponto que quero falar. O plano de Deus para mulher é um plano bom: é um plano para auxiliar, servir e gerar vida.

Só que muitas mulheres não tem conseguido gerar vida quando entulham dentro de si rancor, inveja, ciúmes, disputa, feridas, mágoas e etc. Mulheres que carregam um passado triste dentro si e se recordam diariamente de situações que a machucam; ressentimentos, brigas, traições que a marcaram para sempre. E a verdade é que se não pararmos de alimentar o passado, ele nunca sairá da nossa mente. É possivel viver o presente e esquecer o passado quando nos deixamos ser curadas.

A marca do passado pode ter sido forte a partir de influências de pessoas ou situações que lhe prejudicaram muito; ainda assim é possivel avançar, perdoar e aceitar que existe um plano bom para você viver; um plano de gerar vida, de ser abençoadora, ajudadora e feliz. O motivo pelo qual nem sempre conseguimos colocar em prática esse plano é que colocamos coisas, situações e sentimentos no lugar da essência. Falamos assim: “Quando eu morar em uma casa maior serei feliz”, “Quando meu marido mudar eu vou respeitá-lo” ou “Quando eu tiver móveis caros, um carro caro, jóias e roupas de marca eu serei grata”.

Quando invertemos a ordem das coisas nós sofremos, o ‘ter’ não pode ocupar o lugar do ‘ser'; melhor é ser feliz com o que Deus nos tem dado hoje do que ostentarmos uma vida competitiva somente para mantermos uma aparência. E esses pensamentos acabam por afetar o jeito que pensamos e vivemos; ao invés de gerarmos vida, geramos morte, cobiça, competição, descontentamento e amargura. A fonte que foi criada por Deus para liberar água doce começa a liberar água amarga e isso destroi o propósito de Deus para nós.

Entenda hoje que Deus criou a mulher para servir de ajuda, consolo, encorajamento e cura. Não coloque entulhos na fonte que precisa gerar vida, ou essa fonte irá parar de gerar e morrerá. Libere perdão hoje para o seu passado, avance para o futuro que Deus planejou para você e viva o presente grata pelo que você tem. Seja grata pelo marido, filhos, casa e tudo que Deus lhe deu para edificar.

“Você não pode ser qualquer coisa que desejar ser. Mas pode ser tudo o que Deus quer que você seja.” ~Max Lucado

 

 

O que devemos ou não expor em redes socias

Vivemos em um século que podemos interagir com os que estão perto e longe de forma mais pública, graças as redes socias que nos permitem isso. Nas redes sociais podemos compartilhar momentos, pensamentos, sentimentos e imagens que revele um pouco mais da nossa vida. O que tenho visto ultimamente tem aberto os meus olhos e me educado sobre o que devo ou não expor publicamente. E isso me leva a refletir sobre o que realmente devo expor em forma de texto ou imagem. A partir dessa reflexão, faça à si mesmo as perguntas abaixo:

Para que servem as redes sociais? Qual área da minha vida posso expor publicamente? Qual tipo de sentimento está por trás de coisas que escrevo publicamente?

Essas e mais outras perguntas podem nos ajudar nessa questão que vem se tornando muito importante no tempo em que vivemos. Após ter visto como temos nos portado de uma forma errada que pode talvez nos comprometer, conclui que alguns pontos podem nos ajudar. Vamos lá!

– Não compartilhe sentimentos momentâneos

Todo nós vivemos momentos desagradáveis, mas isso não significa que precisamos falar sobre eles em redes públicas. Guarde seu momento para si mesmo, compartilhe-o com pessoas de sua família, preserve a privacidade.

– Não compartilhe detalhes de sua vida

Detalhes tais como endereço residencial, itens de valor alto, presentes caros e etc, não devem ser compartilhados publicamente, compartilhe-os com pessoas de confiança, de preferência da família.

– Status de relacionamento

Esse é o maior dos erros que vejo pessoas cometerem. Um término de relacionamento não é sempre definitivo,  existem casos que o relacionamento pode se restabelecer; por isso esse tipo de coisas não devem ser compartilhadas publicamente. Se uma pessoa muda de idéia com muita frequência, logo suas palavras não serão levadas tão à sério.

– Não jogue indiretas

Indiretas tais como: “Odeio pessoas que não cumprem com a palavra!” ou “Certas pessoas são tão falsas…” Não faça esse tipo de comentário em redes sociais, procure a pessoa que te magoou e converse com ela, não coloque a amizade em risco com comentários desse tipo que não resolverão o seu problema. Seja sábio e evite tais comportamentos.

Use as redes sociais com sabedoria, antes de escrever algo ou compartilhar uma imagem, pense se aquilo será de bom proveito para você. E o mais importante, seja verdadeiro, não aumente ou minta no que diz respeito à você e o que você possui.

“Caráter é aquilo que você é quando ninguém está te olhando.” ~D. L. Moody

 

Geração cópia!

“Todo isso ta ficando muito automático… ta perdendo a originalidade… e as pessoas nem percebem… estão ligadas à realidade criada por sua percepção… lamentável mas inevitável…” ~Jeziel L. Carvalho

Ah se parassemos para refletir como somos originais, na essência por quem fomos criados, em cada detalhe que nos foi dado por Deus, na pecualidade de nossa personalidade… pararíamos de querer ser e parecer com os outros. Se entendessemos que é muito mais interessante sermos nós mesmos ao invés de procurarmos copiar o que outra pessoa já é seriamos muito mais felizes e realizados.

O maior mal da nossa geração atual está em querer se comparar com uns tais que se acham “perfeitos” e que se expõem na mídia dessa forma e acabam por instigar outros a serem tão perfeitos como eles são. Isso vai criando uma crise de identidade em nossa geração que ninguém mais quer ser ele mesmo, ninguém acredita em sua originalidade, ninguém acredita que pode conquistar e vencer do jeito que ele é. Pensam que precisam mudar a aparência física como o corte de cabelo, estilo de roupa; adquirir bens como carros caros, casas luxuosas e etc. É a geração que precisa ter para ser. Que precisa parecer com alguém para ser aceito.

Essa questão de ostentarmos ser algo que não somos é muito séria porque busca uma aprovação externa, isto é, busca agradar outras pessoas a partir de aparências, a partir de uma realidade falsa, uma máscara que encobre o que é original, o verdadeiro. E quando isso acontece, nós entramos em choque com o que realmente somos e pensamos por essência. Começamos a anular nossos valores e aderir à coisas superficiais e banais que não são importantes mas que tomam lugar de importância em nossa mente que já está enganada e cega.

Como então devemos agir em nossa “geração cópia”?

-Busque seus próprios valores

Entre tantas coisas nosso maior bem é nossa família, não só a de sangue, mas a que conquistamos por meio de amizade e convivência. Devemos valorizar nossas famílias porque são relacionamentos fundamentais para nosso crescimento e segurança.

-Aceite quem você é

Não tente ser outra pessoa, mas procure aceitar quem você é, suas raízes, suas prioridades, até mesmo sua aparência física. Busque somente melhorar em áreas que precisem de melhoramento, mas nunca se anule para passar a ser outra pessoa.

-Busque agradar à Deus em primeiro lugar

Quando aceitamos que Deus nos criou como nós somos fica ainda mais fácil ser feliz com a pessoa que somos. Busque constantemente estar conectado com o mundo espiritual porque isso te levará a ter paz consigo mesmo e aceitar quem você é. A partir disso busque agradar somente a Deus. “Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo”. (Gálatas 1:10).

Que possamos deixar de ser uma geração cópia e deixarmos ser conhecidos por nossa originalidade e essência dada por Deus.

Para onde suas escolhas tem te levado?

Antes de qualquer coisa, vamos deixar claro o significado da palavra “escolha”. No dicionário a palavra escolha se consiste em um processo mental de pensamento envolvendo o julgamento dos méritos de múltiplas opiniões e a seleção de uma delas para ação. Todos nós somos obrigados a fazer escolhas, sejam elas simples ou mais difíceis. Temos opções por escolher o horário que nos levantamos pela manhã; qual roupa vamos vestir; o caminho que escolhemos percorrer para o trabalho; a religião que decidimos seguir; o que vamos comer e assim por diante.

Sendo essas escolhas simples ou mais complexas, todas elas trazem consigo também uma consequência ou resultado. Todos nós já ouvimos a frase ou algo parecido: “Cada escolha tem uma consequência”. A verdade é que na teoria todos nós sabemos disso e temos consciência de que isso realmente funciona. O problema começa quando nossas escolhas ficam inconscientes e automáticas, sem nos darmos conta do que elas estão causando e para onde elas estão nos levando.

Se por exemplo optarmos por levar uma vida sem adquirir conhecimento em uma área que pode plenamente nos realizar, nunca teremos um futuro financeiramente seguro e estável. Se optarmos por diariamente ingerir alimentos de alto valor calórico, sempre estaremos acima do peso. Se optarmos por viver uma vida sedentária, ou seja, com ausência de atividades físicas, poderemos adquirir problemas relacionados à saúde no futuro. Se tivermos uma vida religiosa baseada em pedir à Deus socorro quando estivermos passando por apuros, nunca desfrutaremos da vida abundante que Deus pode nos proporcionar.

E a partir das escolhas que tomamos sem pensar muitas vezes nos deparamos em situações difíceis, tais como: doenças, dívidas, stress, infelicidade e etc. Situações essas que não são tão fáceis de resolver e que nos leva ao início de tudo: nossas escolhas. Escolhas nada mais são que caminhos que percorremos, caminho esse que fica ainda mais longo quando repetidamente optamos por escolhas erradas. É bom lembrar que esses caminhos tem sempre um fim ou resultado, e isso se chama consequência. Qual resultado você tem obtido nos caminhos que você tem tomado? Com o que você se parece quando se olha no espelho? Com qual motivação você tem vivido a vida?

Será que as reclamações que você te feito ultimamente não são talvez fruto das suas próprias decisões? Pare e pense hoje nas decisões diárias que você tem feito e analise os resultados. São esses os resultados que você projetou para a sua vida? Se você não está feliz com a vida que você tem vivido, hoje você pode optar por tomar outro caminho; hoje você pode começar a tomar decisões que vão mudar os resultados que você está tendo. Projete sua vida, faça planos, tome decisões conscientes, crie metas, analise diariamente como foi o seu dia e em que você pode melhorar; a probabilidade de sucesso será maior e você desfrutará de bons resultados que lhe proporcionarão uma vida melhor.

“A vida é a soma das suas escolhas”. ~Albert Camus

« Older posts Newer posts »