Category: Musica

Sua vida é um altar ou um palco?

Sim, você entendeu certo, a pergunta que ecoa hoje é: E a sua vida, é um altar ou um palco? E antes que você pense na resposta, vamos esclarecer a diferença entre os dois. Basicamente, um altar precisa ser construído; e um palco é um lugar que usamos quando precisamos. Subimos e descemos do palco para uma apresentação, não temos vida alí, não gastamos tempo alí; o palco é um lugar sem relacionamento, sem comunhão. O altar já é diferente; no altar existe relacionamento, existe vida, renúncia, busca, intimidade, sacrifício.

Se você exerce um ministério, você precisa ter um encontro com o “Altar”, ou melhor, você precisa construir um altar. Um ministério não sobrevive sem um altar, o altar é o que faz o ministério ter vida. E como construímos um altar? Com oração, adoração, sacrifício diário, renunciando nossas vontades, crucificando nosso eu com Cristo na cruz, entregando a Deus nossos sonhos para vivermos os dEle. E essa busca precisa ser contínua, não é possível construir um altar e somente ir visitá-lo de vez em quando pois esse altar precisa ser alimentando diariamente para que ele se fortaleça.

Essa busca nos exige esforço. E pra tudo nos esforçamos. Nos esforçamos para acordar cedo pro trabalho, nos esforçamos para estudar, nos esforçamos até para planejarmos uma viagem para um tempo de lazer e descanso. E a bíblia nos diz claramente que precisamos nos esforçar para exercermos nosso chamado com excelência. “O reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”. (Mateus 11:12b).

Eu costumo sempre dizer que nossa intimidade com Deus é revelada no altar; pois sem busca e sem intimidade ficamos vazios de Deus. Não é possível exercer um chamado sem antes nos enchermos da fonte de revelação e vida que é Deus. Quando o chamado é respaldado somente por técnica e talento humano ele não mostra a glória de Deus e sim a glória humana. Quando um ministério coloca todos seus holofotes na habilidade humana e Senhor perde o seu lugar que deve sempre ser o centro.

“É necessário que Ele cresça e que eu diminua” (João 3:30). Precisamos sair do centro das nossas razões e vontades para que o Senhor reine sobre nós. É necessário diminuir – diminuir nossa voz para ouvir mais, diminuir nossa ansiedade e esperar mais, diminuir nossos questionamentos e descancar mais, diminuir nossas vontades e nos consagrar mais. Não existe ministério sem altar, e não existe altar sem busca da presença de Deus. Quando buscamos construir um altar, um caráter de santidade é forjado em nós; e pouco à pouco vamos sendo moldados de acordo com a vontade de Deus. Nosso chamado passa a pertencer à Deus e não a nós mesmos; o foco do holofote passa a brilhar em Deus e não em nós mesmos.

E enquanto gastamos tempo contruindo esse altar, Deus traz o crescimento e a sua glória é manifestada. É tempo de restituir o altar, é tempo de crucificar o velho homem, é tempo de colocar de volta o holofote em Deus. Se você espera ter sucesso e crescimento em seu ministério, construa hoje um altar; não respalde seu ministério no palco, não faça de seu ministério um show, não use as luzes para trazer em evidência aquilo que você pode fazer com seus próprios talentos humanos. Remova-se do centro e coloque Deus lá. Pois quando Ele é o centro Ele será também o provedor da glória.

“O caminho do sucesso ministerial é a submissão, e somente os humildes de coração conseguem se submeter”. ~Helena Tannure

 

 

 

Você tem um chamado ou gosta de cantar?

Você sabe o que significa ter um chamado ou um ministério dado por Deus? Você já leu algo relacionado à isso na bíblia? Já ouviu uma promessa que Deus fez à você a respeito de algo que Ele deseje que você faça para Ele?

Quando Paulo escreveu à igreja em Éfeso, ele disse: “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo” (Efésios 4:11,12). Quando leio este texto, entendo que os dons dados por Deus precisam ser exercidos, colocados em prática; para que haja edificação e crescimento no corpo de Cristo.

Quando penso na palavra ‘chamado’ ou ‘ministério’, penso também em palavras tais como:’escolhido’, ‘separado’, ‘marcado’, ‘preparado’. Quando Deus chama, Ele separa; e quando Ele separa, Ele marca; Ele também nos prova e nos ensina. E se entedemos que Deus nos chamou, é preciso entender também que precisamos viver uma vida de santidade, renúncia, busca e dedicação.

O que acontece muitas vezes são pessoas confundindo um chamado com a vontade de cantar, tocar um instrumento ou pregar. Elas fazem compromisso com a igreja mas não tem um compromisso com Deus. Elas querem ter um lugar de destaque nos cultos mas não querem ter um altar de adoração em casa, no trabalho, na escola, nas ruas. Elas querem ouvir seu nome sendo pronunciado na igreja, mas não querem dar ouvidos à voz de Deus os chamando para fazer a diferença.

A diferença entre querer ou sentir vontade de cantar e exercer um chamado é muito grande. Vontade no dicionário significa: “A capacidade através da qual tomamos posição frente ao que nos aparece. Diante de um fato, podemos desejá-lo ou rejeitá-lo. Ante um pensamento, podemos afirmá-lo ou negá-lo”. Certamente, não é aconselhável confiar em nossa própria vontade, porque ela pode oscilar entre ‘querer’ e ‘não querer’. Ela pode estar fortemente enraizada em nós como também pode ser razoavelmente sentida.

Se você que está lendo esta mensagem tem feito um compromisso com algum ministério a partir de uma mera vontade que nem sempre está afirmada dentro de você, ore! Peça a Deus uma confirmação, busque a Ele e Ele te responderá. E a partir de quando você receber essa confirmação, peça a Ele sabedoria, ousadia e disposição para você exercer esse chamado com exelência.

Quando a confirmação vem de Deus, precisamos valorizar o que Ele coloca em nossas mãos para fazer, não podemos receber os dons dados por Deus e guardá-los em uma caixinha e usá-los somente quando nos convém. Se Ele nos confiou dons, devemos então sempre estar disponíveis e preparados quando a oportunidade nos for dada. Eclesiastes 9:8 diz “Sejam sempre alvas as tuas vestes, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça”. Esse versículo sempre me serviu de motivação e afirmação ao meu chamado; para que eu o exerça com responsabilidade e santidade.

Nem sempre será conveniente para nós fazer algo para Deus, haverá dias em que não teremos forças, disposição ou motivação para colocarmos nossos dons em prática. Provações virão, o desânimo também virá, mas a certeza do chamado precisa estar gravada em nossos corações de tal forma que as circunstâncias momentânias não sirvam de desculpa para recuarmos e negarmos a oportunidade preciosa de usarmos nossas vidas para o crescimento do reino.

Busque se separar, busque estar em conexão com o sobrenatural, busque dedicação. Queira se alimentar de fontes espirituais diariamente, esteje em sintonia com Deus através da palavra, da oração, do jejum. Não podemos fazer algo para Deus de qualquer forma, é preciso constância, ordem e acima de tudo obediência à voz daquele que tem nos confiado um chamado.